História

Os Vikings chamavam-lhe “Fada da floresta”, uma vez que o gato se desenvolveu naturalmente em territórios próximos dos humanos, e pensa-se que já vivam nas florestas norueguesas desde 1000 a.C.

Levado para a Escandinávia por marinheiros Vikings, o gato teve de se adaptar ao rude clima das Florestas Norueguesas! O frio, a chuva, a neve e o granizo, obrigou o grande felino a resguardar-se com uma pelagem impermeável e quase estanque. O seu corpo fortaleceu-se e tornou-se num imponente gato de pêlo semi-longo.

Foi na década de 30 do século XX, que o Bosque da Noruega começou a ser valorizado no seu país de origem. Até meados do século XX foi mantido dentro das fronteiras norueguesas pelo que era desconhecido nos restantes países e mais tarde, na década de 70 do mesmo século, começou a aparecer nas feiras e exposições felinas onde hoje já conquistou um lugar de destaque. Foi em 1977 que a raça foi reconhecida pela FIFe.



Temperamento

O Bosque da Noruega tem a particularidade de ser dócil, tolerante e de humor estável. Gosta de ser acariciado e mimado, e aprecia a companhia de outros animais, tornando-se por vezes companheiro inseparável do cão da família.

É um excelente trepador e adora mostrar a sua supremacia. Dotado de uma inteligência e de uma curiosidade fora do comum, segue furtivamente os donos, investigando todas as suas actividades com o maior interesse. Bastante territorial e desconfiado em relação a estranhos, as visitas são alvo de uma minuciosa inspecção.

Adapta-se perfeitamente a um apartamento ou a uma casa com jardim, mas para que não os percamos de vista são necessários cuidados especiais de protecção para que não caiam das janelas ou fujam e sejam roubados dos jardins.



Cuidados

A pelagem média do Bosque da Noruega não requer cuidados especiais. O pêlo não é propício à criação de nós, mas pode formá-los se não for escovado frequentemente (uma vez por semana deverá ser suficiente). Escovagens frequentes são até apreciadas pelo gato, se estas forem feitas sem magoar o animal.



Características/Standard

  • Corpo — Estrutura longa e musculada. Estrutura óssea sólida

  • Cabeça — Forma triangular, com todos os lados de igual tamanho, com boa altura através do topo da cabeça, visto de perfil. Testa ligeiramente redonda; Perfil longo e direito sem STOP. Queixo firme

  • Orelhas — Largas, com boa largura em toda a base, pontas bicudas. Com tufos do género dos lince e pêlo longo que cresce para fora das orelhas. Altas e abertas

  • Olhos — Forma larga e oval, bem abertas, ligeiramente oblíquas. Expressão alerta. Todas as cores são permitidas, independentemente da cor do pêlo

  • Pernas — Fortes, altas. Traseiras mais altas que as dianteiras

  • Patas — Largas e redondas em proporção com as pernas

  • Cauda — Longa e felpuda; deverá chegar pelo menos às omoplatas, mas preferencialmente ao pescoço

  • Pêlo — Semi-longo. A primeira camada de pêlo é coberta por uma segunda camada de pêlo, suave, lustrosa e á prova de água, que cobre as costas e os lados

  • Cores — Todas as cores são permitidas, incluindo todas as cores com branco; excepto aquelas que indicam hibridismo com Siasmeses ou Abyssianos